Arquivo da tag: Família

Um passeio no zoô

Quando você faz um passeio ao zoológico com seu filho, só pensa em conhecer uma grande variedade de animais selvagens? Saiba que é possível aproveitar muito mais dos zôos espalhados por todo o país! A maioria oferece atividades de educação ambiental, áreas verdes para conhecer a flora e fauna locais, e atividades de lazer bem variadas.

Não faz muito tempo, os zoológicos eram conhecidos como locais para a exibição de animais exóticos. Mas, nas últimas décadas, deixaram de ser apenas locais de diversão, para se tornarem centros de educação ambiental e pesquisa. Atualmente, os zoológicos são bastante conhecidos e respeitados por seu papel na conservação de muitas espécies, principalmente das ameaçadas de extinção.
Em uma visita ao zôo, você vai observar que até os recintos têm mudado. A tendência é que jaulas, viveiros e tanques percam as grades, ganhem mais isolamento acústico e espaço, além de tentarem reproduzir o hábitat natural do animal. Tudo isso para aumentar o bem-estar do animal e sensibilizar o visitante sobre comportamento e meio ambiente.

Apesar das mudanças, a maior parte do público espontâneo – aquele que vem sem o acompanhamento de educadores – continua visitando os zoológicos mais por lazer do que pelo aprendizado. Como pai, você pode procurar participar das atividades educativas oferecidas pelos funcionários do zôo, estimular seus filhos a lerem as placas informativas e discutir questões como a grande diversidade de animais no planeta e o respeito aos recursos naturais.

Quer saber como aproveitar ainda mais de um passeio ao zoológico com seus filhos? Leia as dicas abaixo!

  • Para não perder nenhuma das atividades oferecidas, você pode planejar o passeio acessando o site do local ou fazendo uma ligação. Também só com uma consulta prévia dá para saber se o zôo tem infra-estrutura para receber portadores de necessidades especiais. Além disso, vale a pena adquirir um mapa assim que chegar, no Centro de Visitantes, para planejar um roteiro de passeio que inclua as atividades que você e seu filho mais querem conhecer.
  • O lazer é muito importante. É legal os pais terem a oportunidade de passarem um dia agradável com seus filhos, em meio à correria de costume. Muitos zoológicos possuem áreas arborizadas para caminhar e para fazer piquenique. Aproveite para convidar mais gente da família!
  • Os bichos não estão no zoológico para fazer piruetas. Eles estão ali para gerar discussões a respeito do seu comportamento e habitat. O contato ajuda a criar empatia com os animais. Estimula o respeito a todos os seres vivos, inclusive daqueles que muitas vezes geram nojo ou medo, como cobras, sapos, aranhas, insetos e morcegos. É importante explicar aos seus filhos que todos os animais têm uma função especial na natureza.
  • A fauna brasileira é uma das maiores do planeta. Nosso país tem diversos biomas e por isso há tantos animais diferentes. Arara-azul, tamanduá-bandeira, cachorro-vinagre, onça-pintada são alguns animais que podem ser encontrados nos zoológicos. Não importa se você vive na cidade ou em alguma área rural. Há diversos animais que podem ser encontrados livres na natureza, em regiões próximas à sua casa. Além disso, muitos deles estão em risco de extinção e são raros de avistar. É legal aproximar as crianças dessas questões, que envolvem o meio ambiente onde vivem.
  • Os espaços abertos ou com poucas grades, como lagos e os recintos dos grandes herbívoros, costumam virar depósito de lixo. Explique para seu filho que esse descuido, além de tornar o ambiente muito feio, prejudica os animais, que podem ingerir embalagens e restos de comida. Todos os bichos têm hábitos alimentares muito específicos e a comida distribuída é controlada por especialistas. Comida humana pode fazer muito mal aos animais. Em uma visita ao zoológico, aproveite para mostrar ao seu filho o trabalho dos tratadores, que ao longo do dia visitam os recintos para alimentar os animais. Além disso, cuidado com o barulho e com os flashes das máquinas fotográficas! Peça para as crianças não gritarem ou baterem nos vidros e grades, e evite bater fotos com flash. A luz e o ruído em excesso incomodam e afugentam os animais.
  • Quando você e seu filho observam a forma como os animais vivem, dá para conversar sobre as ameaças que sofrem com a destruição da natureza e a importância de se preservar os ambientes naturais para que eles possam viver em liberdade. Além disso, é importante falar sobre preservação de recursos naturais e resíduos sólidos. Tente se informar se o zoológico é envolvido nessas questões. No Jardim Zoológico de Brasília, por exemplo, os dejetos animais vão para uma composteira. Já no zôo de São Paulo, o lixo é reciclado e toda a água usada é tratada e reaproveitada nos lagos e tanques. Todos esses assuntos também podem ser associados ao dia-a-dia do seu filho. Reciclar e economizar água e energia em casa são os primeiros passos para evitar a degradação de mais áreas naturais, e a destruição do habitat de vários animais que encontramos no zoológico.
  • Os profissionais do zoológico podem ajudar a tornar o seu passeio muito mais educativo e prazeroso. Não fique com vergonha de procurar orientação e de fazer perguntas. Essa participação estimula os filhos. Os especialistas podem tirar dúvidas e revelar muitas curiosidades sobre os animais. Além disso, muitos zoológicos oferecem espaços dedicados a temas específicos, de grande importância educativa. No Zoológico de São Paulo (SP), por exemplo, há um espaço indígena, onde se explora a relação sustentável que o índio tem com a natureza. Em Belém (PA), é possível conhecer o patrimônio arquitetônico dos prédios do primeiro Parque Zoobotânico do país, no Museu Paraense Emílio Goeldi Goeldi. Há outros que são associados a jardins botânicos ou áreas de mata nativa, como é o caso da Fundação Zoo-Botânica de Belo Horizonte (MG) e do Parque Zoológico Municipal Quinzinho de Barros, em Sorocaba (SP). Com isso, além de conhecer a fauna, você tem a oportunidade de fazer trilhas ecológicas, passear por jardins temáticos, e conhecer mais sobre a flora local ou de outras partes do mundo.
  • Zoológico não é um passeio para se fazer uma vez na vida. Crie o hábito de revisitar o zôo, ou de conhecer outros em suas viagens. Eles sempre têm novidades! Seja um filhote que acabou de nascer, seja animais recém-doados.
  • Converse com seus filhos sobre o que vocês viram durante o passeio. Reveja as fotos e vídeos feitos, mostre livros e filmes onde os animais do zoológico apareçam.

 

LEIA MAIS:

A praça é sua. Ocupe-a!

Vai pra rua menino! Os beneficíos de brincar ao ar livre

10 Brincadeiras ao Ar livre para crianças menores de 1 ano – Parte I

10 Brincadeiras ao Ar livre para crianças menores de 1 ano – Parte II

Coisas que só acontecem na casa da vovó

Como fazer um piquenique perfeito

É dia de feira!

Bom dia todas as cores!

Publicado pela primeira vez em 1976, é uma das minhas histórias infantis  favoritos pois foi a partir dele durante a minha alfabetização que despertou a minha paixão pelos livros isso por sua  qualidade lírica e pela simplicidade de sua escrita. Ao utilizar-se de um Camaleão para trabalhar com cores a autora fora muito feliz, produzindo um texto que explora o variar de cores do réptil (e lhe atribuindo cores que não são vistas no mundo real, inclusive duas cores ao mesmo tempo) de maneira lúdica e de fácil compreensão. Logo na primeira estrofe do conto Ruth nos determina o que é o Camaleão: nosso amigo. Este detalhe traz um certo ar de humanidade ao personagem, criando um laço simples com a história. Na estrofe seguinte, ao dizer que “o camaleão mudou sua cor para cor-de-rosa, que ele achava a mais bonita de todas”, fica implícita uma questão de gênero interessante de ser trabalhada. O Autor deste artigo é docente na educação infantil e encontra-se no dever de relatar um fato acontecido quando o contar do texto encontrava-se no parágrafo descrito acima. Um menino de 5 anos questionou que “se ele é um camaleão menino, deveria gostar de azul, não de rosa, que é cor de menina”. Trabalhou-se posteriormente com as crianças da sala o que seriam coisas de menino e de menina, e percebeu-se que desde muito cedo as crianças estão sendo doutrinadas a aceitar um estereótipo do gênero. Baseado neste pensamento, o autor, possuidor de uma camiseta rosa com temática da Pedagogia, resolvera experiênciar o que se sucederia ao quebrar o paradigma dominante de gênero. A cena fora mais que tragédia: o menino que relatara ser cor-de-rosa cor feminina ao ver o professor com uma camiseta rosa imediatamente exclamou: “o professor virou menina!” ao que fora então questionado se o professor havia perdido traços físicos masculinos, como a barba, os pêlos nas pernas e o tom de voz. A resposta fora igualmente cômica: “não perdeu mas vai perder”.
É perceptível que a autora tenha deixado esta frase de propósito. O Trabalho com gênero na educação infantil constitui-se de importância grande, tanto quanto a autonomia e a afetividade. Mas embora os professores da EI tentem fazer com que se produzam novas compreensões de gênero por parte das crianças há uma resistência muito grande dos pais a qualquer comportamento considerado inadequado para o gênero. Um menino não pode brincar de boneca e uma menina não pode brincar de carrinho; se brinca, há algo errado, se são estimulados a brincar, reagem dizendo que não são coisas de seu gênero.

Na página seguinte (07) a frase “quero ser bonzinho para todo mundo” também traz um contexto de interpretações grande. Ao ler pela primeira vez, o autor deduziu que nem sempre o camaleão era bom; algumas vezes poderia agir maleficamente, outras com bondade. Relendo o texto percebe-se que a noção de bondade que se perpetua nele é a de que é bom quem faz tudo o que os outros querem – noção esta asseverada nas páginas 10, 14 e 18, páginas em que o camaleão troca de cor ao ser questionado. Se a autora não tivesse conhecimento pedagógico e soubesse ser este um problema muito comum na juventude (pensar por si mesmo, tomar as próprias decisões, não se deixar influenciar) teria parido uma das piores histórias para a infância… pelo contrário, ela desenrola boas frases no porvir literário:

…por mais que a gente se esforce, não consegue agradar a todos. Alguns gostam de farofa. Outros preferem farelo…

construindo assim um final que assevera a autonomia da criança, o dizer não como expor a sua própria opinião, expor suas ideias e fazer o que lhe convém (página 35 do livro). Um final simples mas que contrasta com tudo o que o camaleão fez durante o conto, em que estava subjugando-se ao gosto dos amigos em detrimento à usar a cor que achava a mais linda do mundo. Percebe-se também que o final deixa subentendido que o camaleão não sabia dizer não conscientemente, pois na frase “bastava que alguém falasse, mudava de opinião” fica claro a influência da opinião do outro, o que contrasta com a frase “eu gosto dos bons conselhos, mas faço o que me convém” na qual se divisaria uma ponta de julgamento antes de se aceitar a opinião do outro.
O Professor tem muito o que explorar neste conto, como o gênero, a autonomia e algumas frases que durante o texto podem suscitar comentários, como “você devia fazer o que a natureza ensina” (pg. 17), que é uma boa deixa para trabalhar com a natureza e “porquê você não usa uma cor mais avançada?” para trabalhar o velho e o novo. Um bom conto, sem muitos detalhes a nos entristecer, e que tem boa repercussão entre os educadores.

LEIA TAMBÉM:

Sim!Livrarias também é lugar de diversão!

25 Clássicos da literatura infantil brasileira

Estante: Como nasceram as estrelas de Clarice Lispector

4 dicas super criativa para organizar os livros da criançada

 Livros para bebê: veja o livro certo para cada fase

Roteiro na Jaqueira

Recife para Crianças: Um domingo no Recife Antigo

10 Brincadeiras ao ar livre para bebês menores de 1 ano – Parte II

Vá de bike!

Mais que um objeto de lazer, a bicicleta se tornou um meio de transporte, um veículo para ficar em forma e respeitar o meio ambiente a No entanto  poucos quilômetros de ciclovias, o perigo e o desrespeito com o ciclista são empecilhos para que a modalidade se desenvolva integralmente. Muita gente ainda não se conscientizou de que a bicicleta é um veículo de propulsão humana e tem seu direito assegurado por lei nas vias públicas.

Felizmente, algumas iniciativas pontuais têm surgido no sentido de facilitar a vida dos ciclistas. Ao contrário das ciclovias, esse tipo de iniciativa prevê o uso de uma das faixas das ruas e avenidas para trânsito exclusivo das bikes em dias e horários determinados. O que ainda é pouco para a demanda crescente por esse tipo de locomoção.

A iniciativa privada também tem dado sua colaboração para aliviar o caos da vida urbana. Nada que se compare ao que já existe em outros países da Europa (veja o quadro O Mundo sobre Duas Rodas), mas não dá para negar que qualquer movimento nesse sentido demonstra uma mudança de mentalidade em relação ao assunto. Um bom exemplo é o da Seguradora Porto Seguro, que idealizou alguns serviços com o objetivo de multiplicar ações socialmente responsáveis e estimular o transporte sobre duas rodas. Um deles é o Bike Serviços que encaminha funcionários de bicicleta para atender aos chamados de panes em veículos que não precisam de remoção, fazer vistoria e serviços residenciais de encanador e eletricista na zona sul do Rio de Janeiro, em Santos, São José dos Campos e Campinas, localizadas no Estado de São Paulo, e em alguns bairros da capital. Em comum, todas essas localidades têm uma alta densidade demográfica e um grande déficit de vagas para estacionar os carros.

Confira algumas dicas para aproveitar mais as vantagens desse excelente exercício
● Antes de começar a praticar, passe por uma avaliação médica. O ciclismo tem poucas contraindicações; precavenha-se.
● Durante o dia, use protetor solar e, no verão, prefira as roupas capazes de barrar, ao menos parcialmente, os raios UV. As queimaduras são incômodos comuns que atingem os ciclistas de primeira viagem.
● Informe-se, em sites especializados e com outros ciclistas experientes, sobre como escolher a melhor bicicleta para as suas características físicas, pois há muitos modelos disponíveis no mercado. Se possível, consulte um educador físico com experiência em ciclismo outdoor ou um bike fitter (grandes bicicletarias, em geral, indicam bons nomes). Esses profissionais também podem ajudá-lo a regular a altura do selim com precisão. “Muitos ciclistas referem dormência dos órgãos genitais durante a prática. Mas isso só acontece devido ao mal posicionamento do selim, em geral, quando ele está mais para cima do que deveria”, alerta o educador físico Luiz Antonio Domingues Filho.
● Pedale com roupas adequadas para a prática de exercícios físicos, largas e que permitam a transpiração. Nos dias frios, agasalhe-se em camadas, tomando o cuidado de proteger as extremidades, como as mãos e os pés. “Se a distância for longa, sugiro levar uma muda de roupa extra. A dica também vale para os dias chuvosos”, indica Matias Migiranon Mickenhagen, diretor financeiro da Ciclocidade (Associação dos Ciclistas Urbanos de São Paulo).
● Tenha sempre uma garrafinha de água a tiracolo, para manter-se hidratado.
● Não exceda os limites do seu corpo. Comece devagar, pedalando pequenas distâncias e, depois vá aumentando gradativamente até alcançar seu objetivo.
 

 

 

Agora se você não puder parar de usar o carro uma alternativa para você contribuir com um trânsito com menos fluxo e carros  é  por exemplo você  oferecer carona  ou fazer rodízio com outros pais para levar e buscar as crianças na escola são pequenas atitudes que podem refletir em grandes mudanças!

LEIA TAMBÉM:

Vai pra rua menino! Os beneficíos de brincar ao ar livre

10 Brincadeiras ao Ar livre para crianças menores de 1 ano – Parte I

10 Brincadeiras ao Ar livre para crianças menores de 1 ano – Parte II

Coisas que só acontecem na casa da vovó

 

Quando o bebê vira criança? Veja alguns sinais que seu bebê cresceu!

Com mais ou menos um ano você nota que o bebê já não se diverte com as mesmas brincadeiras ,anda pela casa fica independente ,este um sinal que está deixando de ser um bebê ,Você pode verificar com o seu pediatra ou simplesmente perceber os sinais e descobrir quando, exatamente, os bebês se tornam crianças.

Aqui estão alguns desses  sinais de  que seu bebê parou de ser um bebê e se tornou definitivamente uma criança:

hematomas na testa


E outras contusões variados que nos fazem ficar assustados

Chaves

quando desaparecem as chaves,controle remoto e telefone celular.e nem adianta comprar os de brinquedos,porque não são tão divertidas quanto as reais

 Avião

Você pensou que um bebê chorando era a companheira a pior companheira  no avião?

o bebê chorando é mais velho, é uma criança!

Hora do banho

Ei, olha o que acontece quando eu coloquei minhas mãos no ar e, em seguida, as coloco   dentro da água. Mais e mais e mais rápido !
é engraçado e louco!

Choramingar

O choro torna-se menos freqüentes, mas específico. E mais alto.
Isso seria choramingar!

carrinhos de supermercado


Por que sentar neles pacificamente quando você pode usá-los como alavanca literal para pegar itens quebráveis ​​das prateleiras e vê-los quebrar de forma espetacular

padrão de sono


Os padrões de sono são para bebês. Sendo uma criança significa que os adultos terão que desenvolver a  capacidade  adivinhar a hora que a criança vai dormir e começar a falar :
Vai dormir menino!

Meu!


Veja aquela  coisa ali? Essa coisa que eu sempre quis, mas não conseguia alcançar e você não queria dar para mim?
Eu posso me mover agora, e eu posso alcançá-lo. E agora é meu.

Pôpô

Cocô de bebê? Bonito.
Cocô da criança? Ei, não é alguém a vez de mudar a fralda?

LEIA TAMBÉM:

Livros para bebês:veja o livro certo para cada fase

Vai pra rua menino! Os beneficíos de brincar ao ar livre

10 Brincadeiras ao Ar livre para crianças menores de 1 ano – Parte I

10 Brincadeiras ao Ar livre para crianças menores de 1 ano – Parte II

Coisas que só acontecem na casa da vovó

Clube do filme – Matilda

Hoje vou  falar de   um dos melhore filmes da minha infância fazendo que eu assista até hoje quando passa na tv:Matilda,que  é  adaptação do livro homônimo de  Roald Dahl  e dirigido por Danny Devitto e conta a estória de uma criança brilhante de apenas seis anos, que cresceu em meio a pais grosseiros e ignorantes. Seu pai Harry (Danny DeVito) trabalha como vendedor de carros, enquanto que sua mãe Zinnia (Rhea Perlman) é dona de casa. Ambos ignoram a filha, a ponto de esquecerem de matriculá-la na escola. Desta forma Matilda fica sempre em casa ou na livraria, onde costuma estimular sua imaginação. Após uma série de estranhos eventos ocorridos em casa, quando Matilda descobre que possui poderes mágicos, Harry resolve enviá-la à escola. O local é controlado com mão de ferro pela diretora Agatha Trunchbull (Pam Ferris), o que faz com que Matilda apenas se sinta bem ao lado da professora Honey (Embeth Davidtz), que tenta ajudá-la o máximo possível.uma ótima estória,que mostra que ser diferente,ser especial,não é ruim e principalmente demonstra o papel do livro durante a infância.Um filme para toda a familía.Vale a pena ver.

 

LEIA TAMBÉM:

Clube do filme

Clube do filme – As escolas no cinema

Clube do filme -Imaginação

Conheça o Cinema São Luiz

CineMaterna

Cinema: 31 minutos – O filme

Pipoca colorida!

 

 

Fruta Cremosa

Delícia certa para o verão, as frutas ganham cara e gosto de férias quando misturadas com um pouco de sorvete. A receita simples e saudável!

 

 

Creme de manga

Tempo de preparo: 20 minutos
Rendimento: 3 porções

Ingredientes:
1 manga tipo tommy
2 bolas de sorvete de creme

Como fazer:
Tire o sorvete do congelador para que ele fique um pouco mais mole. Enquanto espera, descasque a manga e pique em pedaços. Peça para o seu filho ajudar a colocar a fruta no liquidificador e bata até misturar bem.

 Raoni Maddalena

Dica
Você pode fazer a receita com outras frutas que gostar. Fica bom com mamão ou banana, mas você pode testar com pêssego, figo fresco ou kiwi. Se quiser um creme mais líquido, acrescente um pouco de leite.

Pipoca colorida!

Lego de gelatina

Festa de aniversário no quintal

Como fazer um piquenique perfeito

É dia de feira

Coisas que só acontecem na casa da vovó

 

Dia de sol é dia de praia

Os dias de frio acabando e os dias ficando cada vez mais quente e pra quem mora no litoral não tem programa mais legal ( e óbvio)do que juntar os amigos e passar um dia super divertido.para a criançada é a oportunidade de brincar na areia construindo castelos e torres ,catando Siri, tatuí, estrela-do-mar,bichinhos que só encontramos lá!

Aqui em Recife temos duas praias a de Boa Viagem e a do Pina, mas temos a sorte de Pernambuco ter outras dezenas de praias cada uma mais linda que a outra.

 

Só que a tão desejada diversão  pode se tornar um pesadelo caso alguns cuidados não sejam tomados. Para que você possa curtir a viagem com mais tranquilidade, relembramos aqui as situações mais comuns que podem acabar com o passeio.

 

O primeiro cuidado é o uso do protetor solar. Sim, parece o básico, mas muitos pais esquecem deste básico! Para os baixinhos, o ideal é o uso dos protetores ou bloqueadores solares com fator de proteção 50 e 60 e evitar a exposição ao sol mais forte das 10h às 16h. Se isto for realmente impossível, as crianças devem vestir camisetas e usar bonés para maior proteção. Não se esqueça de passar protetor nos pés e orelhas, pois são partes bastante sensíveis e que ficam muito expostas.

Atenção: muito sol pode acabar em insolação, que pode levar à morte. O corpo perde a capacidade de controlar a sua temperatura, que sobe muito rápido. Como o mecanismo da transpiração falha, o corpo não consegue se resfriar, o que pode causar danos ao cérebro ou órgãos vitais. Temperatura corporal muito alta, pele vermelha e seca, forte dor de cabeça, tontura e náuseas são alguns dos sinais de insolação. Caso isto aconteça, tente resfriar o corpo da criança e providencie socorro rapidamente. Para evitar esta situação, dê bastante líquido – preferência para água, sucos e água de coco –, evite a exposição ao sol forte e atividade física nas horas mais quentes do dia.

Os afogamentos ocorrem com frequência, inclusive com crianças que sabem nadar. Os principais cuidados são: evitar refeições pesadas durante o dia e esperar cerca de três horas depois do almoço para liberar as crianças ao banho de mar; nunca deixá-las sozinhas na água e fazê-las usar boias e braçadeiras.

Também são muito comuns casos de crianças perdidas. Neste caso, o uso de pulseiras de identificação, com o nome e telefone dos pais, é uma boa medida de segurança. Além disso, você deve orientar seu filho a, caso ele se perca, procurar uma viatura policial ou um policial fardado e nunca sair da praia com um desconhecido, mesmo que ele diga que sabe aonde você está. E, ainda, assim que você chegar na praia, escolher, junto com seu filho, um lugar de destaque, onde ele ficaria, caso se perdesse, esperando por você.

Outras precauções importantes: uso de roupas leves, com preferência para as de algodão, para que as crianças possam transpirar normalmente; ingestão de bastante água – filtrada ou fervida –, para evitar a desidratação; cuidados com a alimentação – comer alimentos leves e de onde você conheça a procedência. Os alimentos vendidos na praia nem sempre são uma boa opção por estarem, na maioria dos casos, há muito tempo expostos ao calor e à areia.

 

LEIA TAMBÉM:

A praça é sua. Ocupe-a!

Vai pra rua menino! Os beneficíos de brincar ao ar livre

10 Brincadeiras ao Ar livre para crianças menores de 1 ano – Parte I

10 Brincadeiras ao Ar livre para crianças menores de 1 ano – Parte II

Coisas que só acontecem na casa da vovó

Como fazer um piquenique perfeito

É dia de feira!

 

Inhotim -Um museu de novidades

 

Zapeando a tv a noite eis que me deparo com uma matéria sobre um lugar inacreditável chamado Inhotim – Instituto de arte contemporânea e Jardim botânico o lugar que para alguns teria a vocação pra ser o lugar mais chato do mundo surpreende quem o vê.Localizado em Brumadinho, próximo à capital Mineira Belo Horizonte ,  é um dos centros artísticos mais importantes do país e é  considerado o maior centro de arte ao ar livre da America Latina.

Para aqueles que gostam de arte e natureza o centro possui um acervo destacado com 450  obras de artistas brasileiros e estrangeiros: Oiticica, Vik Muniz e Zhang Huan; além de uma paisagem incrível.  A dimensão do lugar, e a relação das obras com o espaço fazem dessa, uma experiência única. Com área de 102 hectares de jardins paisagísticos projetados por Burle Marx, 17 galerias estão “espalhadas” pelo local que apresentam trabalhos de artistas contemporâneos.  Entre uma galeria e outra o visitante interage com as obras e  o paisagismo e beleza natural do lugar promovendo o diálogo entre o artista e o público.

E essa interação entre o visitante e arte que é  o charme do Inhotim ,qual é o museu que você pode dar um mergulho na piscina? Acredito que nenhuma. A arte de Inhotim mexe com todos os sentidos. As obras que emitem sons, provocam visões, sensações, cheiros e aguçam até o paladar, atraem visitantes do mundo inteiro .

Em uma das obras, o reflexo no vidro distorce a imagem e o visitante se diverte até com o que não gostaria de ver.Se você e sua família tiver perto da região este é um programa obrigatório. para mais informações confira o site AQUI

Beijos até a próxima!

 

LEIA TAMBÉM:

Crianças e teatro

A praça é sua. Ocupe-a!

Como estimular a visita de museus históricos em crianças

Exposição de arte: Educação e diversão para crianças e adultos

Clube do filme

É dia de feira

 

Sim ! Livrarias também é lugar de diversão!

Para alguns uma ida a livraria consiste basicamente ao ato de comprar ao livro ou conferir as novidades ,mas você  pode fazer desse simples passeio numa atividade super divertida para a garotada. Atualmente  em muitas dessas livrarias são oferecidos espaços lúdicos para estimular desde cedo o gosto pela leitura nos pequeninos, onde disponibilizam espaço de leituras ,atividades recreativas e contação de estórias  e em períodos de férias  estedem essas atividades e essas livrarias realizam uma programação especial para o público infantil. Lógico que todas essas atividades são utilizadas para agregar  valor aos podutos  disponiveís na loja mas torna-se um grande serviço prestado á sociedade pelo seu papel de formação de leitores e principalmente por cumprir um papel que cabe as bibliotecas que como sabemos muitas estão sucateadas e é por tudo isso as livrarias acabam se transformando numa ótima opção de lazer gratuito  para a toda famíla.

Aqui em Recife duas livrarias se destacam por essas atividades são: a livraria cultura e a livraria Jaqueira. A primeira se destaca pelo tamanho do seu acervo e localização mas a minha preferida é a livraria Jaqueira  ,por ser uma livraria de pequeno porte(comparado com a livraria cultura) oferece um clima acolhedor e acochegante e o fato da ‘hora do conto’ ser um evento regular ,formou um público fiel que todo sábado de manhã ou de tarde levam a criançada de todas as idades e tamanhos  para ouvir as estórias e músicas embaladas pelas ‘tias’,quem for de Recife vale a pena conferir.  E você costuma frequentar alguma livraria com as crianças?

Vantagens de frequentar livrarias:

  • Podemos usufruir dentro da loja os  e folhea-los á vontade
  • Mães e crianças fazem novos amigos
  • E principalmente desenvolvemos o gosto pela leitura e livros

25 Clássicos da literatura infantil brasileira

Estante: Como nasceram as estrelas de Clarice Lispector

4 dicas super criativa para organizar os livros da criançada

 Livros para bebê: veja o livro certo para cada fase

Roteiro na Jaqueira

Recife para Crianças: Um domingo no Recife Antigo

10 Brincadeiras ao ar livre para bebês menores de 1 ano – Parte II

Livros para bebês: veja o livro certo para cada fase

Ler estorinhas para a criança favorece o desenvolvimento da linguagem oral e da compreensão auditiva Além disso, as narrativas também estimulam a imaginação e a criatividade – e incentivam os pequenos a se tornar grandes leitores no futuro! Para isso, porém, a leitura deve ser feita diariamente.Descubra, a seguir, com as dicas da especialista, o que ler para cada faixa etária.

DESDE CEDO

  • Na barriga

O importante, nessa fase, é que o bebê escute a sua voz e a do pai. O conteúdo deve ser leve e pronunciado com uma voz suave e baixa.

Sugestão:

Um girassol que não gosta de sol vive em um lindo campo todo florido. Esta história comovente é cheia de ação e drama.

Serviço: Editora Brasiliense, R$ 31,00

  • De 0 a  6 MESES

Nessa fase, leia histórias leves e com final feliz. É importante que os livros tenham muitos desenhos, cores e texturas, que chamam a atenção da criança. Modelos de banho e de tecidos são ideais para essa idade. “Ler contos de fadas e cantar músicas infantis para a criança também é essencial”, diz Telma.

Sugestão:

Plim, o Pinguim – Livro de banho, bem colorido, conta a história de um pinguim, que, assim como o livro, adora ser molhado e lavado!

Serviço: Editora Salamandra, R$ 27,90

 

  • De 6 meses a 1 ano

Continue com livros de tecido e de banho e ajude a criança a saborear a história. Antes que ela consiga ler sozinha, ensine-a a folhear os livros, interpretar as imagens, inventar histórias e acompanhar a leitura realizada por alguém mais experiente.

Sugestão:

Meus Carrinhos – Este livro de tecido traz cinco veículos para encaixar em suas abas. Os meninos vão adorar, além de aprender sobre as cores e diferentes formas.

Serviço: Editora Salamandra, R$ 43,90

  • De 1 a 2 anos

Nessa fase, você já pode oferecer livros maiores, mas ainda cheios de figuras, com pouquíssimo texto.

Lembre: leia sempre junto com seu filho e continue investindo em histórias leves e divertidas.

Sugestão:

Macaco Danado – Nesta historinha, uma borboleta e um macaquinho saem em busca da mamãe macaca. A obra trabalha bastante com a descrição dos personagens e incentiva a imaginação das crianças.

Serviço: Editora Brinque Book, R$ 30,50

 

  • De 2 a 3 anos

Nessa fase, a criança fará mais perguntas e começará a interagir com as histórias. A leitura vai ajudá-la a aprender palavras novas e a se comunicar. Agora, ela também seguirá, mais fixamente, a leitura, por isso, leia devagar e explique o que julgar necessário.

Mas lembre: Leia as histórias respeitando a estrutura narrativa, ou seja, não infantilize o texto nem use recursos da linguagem oral, como ‘aí o príncipe, e aí a rainha, e aí então o rei.

Sugestão:

Conta a história de Bibi, que nunca tinha cortado o cabelo. Só que ele acabou crescendo e virando um cabelão e atrapalhando a vida da garota. Foi aí que ela tomou uma importante decisão: cortá-lo! O livro estimula o amadurecimento das crianças.

Serviço: Editora Scipione, R$ 25,90

 

FONTE:

 Bebê.com.br

LEIA TAMBÉM:

25 Clássicos da literatura infantil brasileira

Estante: Como nasceram as estrelas de Clarice Lispector

4 dicas super criativa para organizar os livros da criançada